Página 1 de 5
1 2 3 5
Aristóteles – Platão e platonismo

Tag: Aristóteles

  • Caeiro (Arete:49) – arete

    CAEIRO, António de Castro. A arete como possibilidade extrema do humano. Fenomenologia da práxis em Platão e Aristóteles. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2002, p. 49 A excelência (arete) não é nenhum conteúdo de aprendizagem (mathema), porquanto a situação de aprendizagem do que possa ser esse conteúdo não se pode concretizar em enunciados que o…

  • influência de Aristóteles

    A influência que a filosofia de Aristóteles exerceu no mundo é algo extraordinário, algo formidável. Toda a antiguidade depois dele apossa-se da magnífica enciclopédia científica que constituem suas obras. Sua Metafísica, sua filosofia primeira, constitui também desde então a base do pensamento filosófico para todo o mundo, seja para aceitálo e desenvolvê-lo, seja às vezes…

  • Aristóteles

    Aristóteles de Estagira, na Trácia (384-322): discípulo de Platão durante 20 anos; preceptor de Alexandre Magno, em 325, funda, em Atenas, o “Perípato”. Escritos principais (para a cronologia e autenticidade cf. W. Jaeger, Aristóteles, 1923 [trad. espanhola: Aristóteles, 1946]; P. Gohlke, Aristóteles und sein Werk, 1948; 3. Zurcher, Aristóteles. Werk und Geist, 1952): Escritos lógicos:…

  • Aristóteles: analogia

    Tradicionalmente, a analogia aristotélica foi descrita de duas maneiras. Uma maneira descreve a analogia como uma formação matemática que compara quatro coisas, por exemplo, A está para B como C está para D. Aqui, analogia é simplesmente um termo matemático que pode dizer pouco ou nada sobre a natureza das coisas que estão sendo comparadas.…

  • physei onta

    Como vimos, o horizonte de acontecimento dos entes por natureza (φύσει ὄντα, physei onta) é circunscrito a partir da consideração do princípio (αρχή, arche) da movimentação (κίνησις, kinesis), nas suas mais variadas acepções, como transformação, alteração substancial e qualitativa, quantitativa, como processo de geração e também, por fim, movimento ou deslocação espacial. A origem e…

  • genesis (Caeiro)

    CAEIRO, António de Castro. A arete como possibilidade extrema do humano. Fenomenologia da práxis em Platão e Aristóteles. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2002, p. 289 «A chamada natureza é como que um processo geracional, um caminho para a natureza» [Aristóteles, Física, 193b12-13], na medida em que «aquilo que se forma vem de um estado…

  • morphe (Caeiro)

    CAEIRO, António de Castro. A arete como possibilidade extrema do humano. Fenomenologia da práxis em Platão e Aristóteles. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2002, p. 288 «O outro modo de considerar a natureza é […] a figura e a forma, não na medida em que são separáveis da matéria mas na medida em que são…

  • hyle (Caeiro)

    CAEIRO, António de Castro. A arete como possibilidade extrema do humano. Fenomenologia da práxis em Platão e Aristóteles. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2002, p. 286-287 «A ‘matéria’ é chamada ‘natureza’ por ser capaz de a acolher, e assim também, [por ser capaz de acolher] os processos de passar a ser, de crescer, uma vez…

  • hexis (Caeiro:EN:282-283)

    ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Trad. António Caeiro. Lisboa: Quetzal, 2015, p. 282-283 O terminus technicus ἔξις [hexis] dificilmente é vertido para português de um modo tão conciso e com o poder semântico do original grego. Na verdade, se a tradução latina pela palavra habitus ou pela solução composta de Bonitz actio habendi, cf. H. BONITZ…

  • Caeiro (Arete:§66) – A determinação do trabalho (ergon) específico do humano

    A situação (praxis) designa o horizonte onde pode eclodir a excelência (arete). Estar lançado para a felicidade (eudaimonia) é uma característica formal da vida humana. É por termos um conhecimento deste projecto que nos está dado em mãos que percebemos estarmos afastados dele ou irmos no seu encalço. Se «ser feliz» é o projecto fundamental…